A emocionante história da enfermeira que adotou criança abandonada com paralisia cerebral

Criança que foi abandonada com menos de um ano devido a condição hoje está com 12 anos

A residência onde Ronei Gustavo Pires de 12 anos vive em Várzea Grande, na Região Metropolitana de Cuiabá (MT) é decorada com uma cortina com ursos, ao mesmo tempo que o ambiente é repleto de aparelhos hospitalares. A criança passa os seus dias deitada em uma cama, e próximo a ela um artesanato pendurado no local avisa que “aqui dorme um príncipe”.

A única forma de se comunicar com o mundo que Ronei tem, é através de seu olhar. Por isso, ele observa cada movimento a sua volta, em seu quarto, onde fica a maior parte do tempo. Sua rotina diariamente é acompanhada por sua mãe, a enfermeira Solange Maria Pires, de 56 anos.

A criança nasceu com uma doença chamada agenesia do corpo caloso, que é uma má formação congênita da qual a criança não possui a estrutura responsável por conectar seus dois hemisférios cerebrais. Além disso, ele também possui neuropatia crônica, que possivelmente foi desenvolvida devido a má formação de seu cérebro.

PUBLICIDADE

Essa doença pode atingir o sistema nervoso e afetar o desenvolvimento e as funções como por exemplo os movimentos e a postura.

Desde seu nascimento o menino possui um quadro grave de convulsões. Isso pode ter sido causado pela neuropatia.Segundo foi informado por Solange, a família biológica do garoto demorou procurar ajuda para ele a respeito dos problemas de saúde. E com isso, sua saúde acabou sendo ainda mias prejudicada pela demora.

Com pouco mais de um ano de idade veio o diagnóstico de paralisia cerebral, e foi então que a criança passou a viver em estado vegetativo.

PUBLICIDADE

Solange, a mãe adotiva do garoto, é divorciada e morava sozinha quando decidiu que iria adotar o menino. Ela já tinha outros dois filhos de 33 e 37 anos, que já não moravam mais em sua casa.

Ao adotar a criança, ela passa maior parte do seu tempo para garantir os cuidados do menino. A criança viveu por um ano de forma provisória na casa de Solange, em todo este período os pais biológicos de Ronei procuraram a criança apenas uma vez.

Nas redes sociais os internautas se mostraram comovidos com o gesto da enfermeira.

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Juliana

Redatora no site noticiaviva.com. Apaixonada por gatos. Uma pessoa simples e muito bem humorada. Contato: [email protected]