Antes de morrer com Covid-19, jovem de 27 anos reclama minutos antes de falta de ar:”Não consigo falar”, além disso na mesma semana perdeu a mãe vítima de infarto

O caso aconteceu em Sorocaba, tornando assim o mais jovem paciente a morrer da doença.

Luiz Ricardo, faleceu vítima do novo coronavírus, minutos antes relatou a um parente que estaria com muita falta de ar, Tinha 27 anos e não resistiu. As informações que temos, da parte da família, é que ele  morreu a 16 de maio, ficando assim menos de 24 sob os cuidados médicos. O site G1, obteve os prints onde a irmã Karina Aparecida, falou com ele ainda na madrugada anterior à sua morte, quando o irmão já estava a ser atendido pelo médico.

Abaixo pode ver a conversa de Luiz e Karina:

PUBLICIDADE

No seguimento da conversa de ambos, via mensagem de WhatsApp, após 10 minutos o jovem disse que estaria com um problema no pulmão. “Pulmão está bem zuado”, conta.

Já no final da tarde desse mesmo dia, a irmã enviou nova mensagem ao irmão. Ela relata que falou com ele sobre a possível transferência, para a cidade onde ele residia.

“Estou com uma tosse alérgica, e não consigo falar. Assim que conseguir tomar o medicamento, eu te chamo”, essas foram as últimas palavras do jovem à irmã.

PUBLICIDADE

 

Para Karina, falar sobre o assunto Luiz, teve uma situação grave na família, que se encontra duplamente de luto. No dia 15, da mesma semana que o jovem morreu, os filhos tinham também perdido a mãe, vítima de infarto. Luiz, já se encontrava internado com o pulmão afetado.

O jovem estava casado tinha dois anos, e segundo a familiar, não estava a pensar ter filhos. A sua maior atenção carinho e afeto, era para a esposa, pais e sobrinhos.

“Amanhava os meus filhos. Os Sobrinhos (filhos que não teve, e eu tive o maior orgulho de lhe dar). Tinha amigos por toda a parte, era uma pessoa querida por todos. Sempre falava de Deus, e abençoava as pessoas, e ajudava sempre que pudesse”, fala Karina.

Segundo a prefeitura da cidade, o jovem tinha outros problemas de saúde, que também interferiram para a sua morte. A irmã não tem ideia, como ela ficou infectado, mas acredita que o sobrepeso, e a alimentação, também o tenham prejudicado na luta contra a infecção.

O jovem residia no bairro Jardim Novo Horizonte, era vendedor de bebidas. Entretanto a família afirma que os cuidados como o uso de álcool em gel e máscara sempre foram usados.

“A gente sempre disse para que ele prestasse atenção às medidas de segurança, antes ele já tinha apanhado uma chuva, e teria ficado gripado, porque vez ou outra ele sofria de problemas respiratórios”.

A esposa de Luiz está em choque, e teve que ser levada para o hospital, até ao momento não tem qualquer diagnóstico para doença. Está estável. O corpo do vendedor foi enterrado no Cemitério Santo Antônio, na cidade.

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!