Atenção essa posição de dormir para os bebês pode ser fatal, não deixe seu bebê dormir assim

Atenção a essas informações importantes.

Poucas pessoas conhecem o problema chamado de síndrome da morte súbita do lactente, a característica dessa síndrome é uma morte inesperada sem causa que ocorre principalmente durante o sono, o bebê está bem, mas sem explicação alguma ou razão aparente o bebê sofre uma morte de maneira súbita.

Essa síndrome também chamada de morte do berço, de acordo com informações essa seria uma das principais causa da morte em bebês com idade menor que 1 ano de vida, os casos chegam em média de um a cinco casos para cada 10 mil bebês.

O diagnóstico só é possível ser descoberto após ser descartados possíveis maus tratos, envenenamento, acidentes, doenças desconhecidas, entre outras.

PUBLICIDADE

De acordo com os especialistas a época mais perigosa está entre 2 e 4 meses de vida e a maioria dos casos ocorre em meninos, é importante salientar que não se trata de negligência dos pais, não está ligado a vacinações, nem mesmo há algum fator contagioso, nem hereditário, são casos raros.

Em uma família que teve casos de morte súbita infantil o risco de ter novo episódio com o segundo filho é de apenas 1%. Veja agora alguns fatores de risco para a morte súbita infantil:

Dormir de barriguinha para baixo é um dos principais que favorecem o risco, segundo a sociedade de pediatria na década de 90 lançaram campanhas alertando os pais para não colocarem os bebês de bruços, após 10 anos, foi constatado que a taxa de morte súbita caiu cerca de 11%.

PUBLICIDADE

Segundo os pediatras essa posição é a de maior risco para o bebê, pois ao dormir de bruços pode atrapalha muito a respiração, pois um coxão mole, lençóis podem ser um fator que pode provocar a obstrução das vias aéreas da criança.

De acordo com a pesquisa também se o bebê dormir no mesmo quarto com os pais, ajuda a diminuir as chances da síndrome. Outro fator de risco é o ambiente quente, pois pode ser perigoso para o bebê um quarto com temperatura elevada, cobertas cobrindo o bebê, está ligado a morte súbita.

O cigarro também altera o funcionamento cardiovascular e respiratório do bebê fazendo com que ele sufoque. Segundo algumas fontes científicas outros fatores que devem ser observados, são: o nascimento prematuro, irmãos que tiveram morte prematura, intervalo curto entre uma  gravidez e outra, mãe adolescente e ausência de pré-natal.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.