Cristãos dão lição de amor em parada LGBT “Jesus cura a homofobia”

Cristãos dão lição de amor com cartazes em parada LGBT em São Paulo

#JesusCuraaHomofobia é a frase que foi exibida por um grupo de cristãos em cartazes durante a realização da Parada LGBT de São Paulo neste último domingo, 23, e acabou emocionando a quem passava pelo local.

“Desculpem-nos pela maneira de como a ‘igreja’ trata vocês”, ainda estava escrito nessa mesma mensagem que espalhou amor durante toda a parada.

Clauber Ramos foi, na companhia de irmãos cristãos tanto de sua igreja quanto de outras, para a Avenida Paulista, onde estaria acontecendo a parada LGBT, levando consigo os cartazes e contou por meio do Facebook toda a repercussão que esse simples ato de respeito ao próximo acabou causando.

PUBLICIDADE

“Eu decidi escrever essa frase, mesmo tendo consciência de que seria simplesmente incompreendido e até mesmo criticado por todas as partes. Mas a verdade é que eu não estou nem ligando”, disse ele.

“Sou casado, sou pai de duas meninas e completo 46 anos daqui a alguns dias, não tenho mais nada para provar para ninguém”, escreveu Clauber.

Nesse mesmo texto publicado no Facebook, Clauber contou que decidiu ir à Parada junto de outros cristãos de diversas igrejas com o intuito de exibir algumas mensagens que falam sobre o amor de Cristo a simplesmente todos os seres e de contrapartida, mostrar a discordância dos pontos de vista com os pastores midiáticos que falam em relação ao tema.

PUBLICIDADE

Com a placa em suas mãos e com um sorriso no rosto, Clauber disse ter recebido o carinho de uma boa parte dos LGBTs que passavam ali.

“Diversos sorrisos como forma de retribuição, sinais de positivo com as mãos, muitos abraços concedidos e recebidos e muitos outros chegavam até mesmo a chorar quando abraçados ouviam um simples ‘Jesus te ama’”, contou ele a experiência que teve.

“Mas a pessoa que mais se emocionou fui eu, pois sempre pensava no quanto Deus ama a todos eles, e que entre nós que somos cristãos e elas não existe nenhuma diferença, por que somos todos semelhantes para Deus e que só existe uma regra: O amor”.

“Foi um trabalho pequeno como uma formiga, mas que fez com que eu passasse a acreditar que nós temos condições de reverter a situação atual e a acreditar também que o evangelho de Cristo é AMAR AO PRÓXIMO. ainda há espaço para o amor nesta geração. Temos apenas que começar a pratica-lo!”, falou Clauber.

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Juliana

Redatora no site noticiaviva.com. Apaixonada por gatos. Uma pessoa simples e muito bem humorada. Contato: [email protected]