Cura da AIDS? Unifesp apresenta estudo promissor à UNAIDS

Estudos da Unifesp pode ser a cura do HIV e será apresentado em evento à UNAIDS

Uma Conferência Internacional, recebendo o apoio da ONU, será através de meios virtuais entre esta segunda e terça feira (6/7 e 7/7).

O estudo realizado na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) afastou com sucesso um paciente infectado com HIV por 7 anos do vírus por um ano e cinco meses. O estudo será apresentado à comunidade internacional no evento desta terça-feira ( 7/7).

Os detalhes deste estudo foram divulgados no último final de semana e serão anunciados na 23ª Conferência Internacional da Aids.

PUBLICIDADE

O evento foi organizado pela Associação Internacional para a AIDS (IAS é abreviado como International AIDS Association) e apoiado pelo Programa Conjunto das Nações Unidas para o HIV / AIDS (Unaids), que debateu as descobertas científicas e o conhecimento sobre a AIDS no mundo inteiro.

Esta reunião será realizada em San Francisco, EUA, mas devido a medidas tomadas para conter o novo coronavírus, este ano será realizado pela primeira vez de maneira virtual.

Descoberta: Avanços que foram apresentados neste final de semana mostraram que o grupo de estudos pode estar bem próximo de trazer uma esperança definitiva aos pacientes soropositivo do HIV. Se for cientificamente comprovado, o tratamento será uma grande avalanche no mundo da ciência pela primeira vez em que o tratamento da doença tem sucesso sem que qualquer tipo de transplante de medula tenha sido utilizado – tal método já deu alguns bons resultados positivos em dois pacientes tratados de tal maneira.

PUBLICIDADE

Segundo descobertas da ciência, a AIDS surgiu através do vírus SIV, cujos foram encontrados em sistemas imunológicos de chimpanzés e macaco-verde africano. Por mais que os animais não adoecem como os humanos, o SIV é altamente mutante, onde supostamente teria através dele originado o HIV, vírus da AIDS.

O SIV que está no organismo do macaco-verde teria desenvolvido do HIV2, versão com menores gravidades, demorando mais tempo à desenvolver a AIDS. Os chimpanzés por sua vez, deram origem ao HIV1, sendo mais mortal. “Pode ser provável a maneira que foi transmitido ao humano, os dois tipos de HIV tenha ocorrido em tribos da África central por caçar ou domesticar macacos-verdes e chimpanzés, de acordo com Jacyr Pasternak, infectologista do Hospital Beneficência Portugues, de São Paulo.

 

PUBLICIDADE

Escrito por News Report

Colunista de notícias, visando levar a informação à leitores diversos, através da internet, mídias sociais, redator de plataforma em diversos assuntos.