Grávida pensava que marcas eram apenas estrias, mas na verdade era algo muito pior. Entenda

Os médicos confirmaram o diagnóstico, mas disseram que havia pouco que pudessem fazer.

Summer Bostock viveu momentos de muita apreensão em sua gravidez quando ela chegou as 30 semanas de gravidez e acordou com a barriga toda cheia de marcas pela barriga como se fossem estrias e essas marcas não paravam de aumentar em sua barriga e começaram a aparecer também em outros locais como nas costas, pernas e logo cobriu todo o corpo tornando cada dia mais doloroso e agoniante para ela.

Uma visita ao médico revelou um diagnóstico estranho e inesperado. O médico disse a ela que ela estaria com alergia do seu bebê. Imagens chocantes mostram a extensão da horrível alergia, que apareceu da noite para o dia, há um mês e meio antes do seu filho nascer.

As marcas começaram também a coçar, ela seguiu a orientação do médico e usou um creme calmante e esteroide suave. Quando isso não funcionou, a grávida tomou um banho de mingau de aveia, sabendo que a aveia tem propriedades anti-inflamatórias e é muito usada para tratar doenças da pele, como o eczema.

PUBLICIDADE

Infelizmente o banho de mingau não resolveu. Então, quatro semanas depois, ela retornou ao médico, que lhe deu mais pomada que novamente não aliviou a coceira.

Nada conseguia melhorar a coceira que Summer sentia por todo o corpo, ela viveu momentos de agonia e chegava até a vomitar, chegou ao ponto de não aguentar nem tomar um banho, pois ela não aguentava a água em contato com sua pele.

Com 37 semanas de gravidez, a dor foi tão intensa que ela foi admitida no Hospital Redlands em Cleveland, Brisbane, os médicos ainda não tinham visto um caso como o dela, ela foi internada e eles passaram a cuidar com empenho de Summer até que o bebê nascesse.

PUBLICIDADE

Assim que o menino nasceu, a erupção começou a desaparecer.

Acredita-se que Summer teve um caso extremo da condição pré-natal, a erupção polimórfica da gravidez (PEP) que, embora inofensiva para a mãe e para o bebê, causou a dor agonizante da mãe. Os médicos induziram o parto e nasceu Izaiah, agora com cinco anos, por cesariana, aliviando o sofrimento da mãe.

“No dia seguinte, toda a coceira praticamente desapareceu. Então, sim, eu era realmente alérgico ao meu filho”.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Notícia Viva