Hidroxicloroquina não reduz mortalidade por COVID-19

“É preciso agir com cautela com medicação sem eficácia comprovada contra a COVID-19 para que não cause mais danos aos pacientes”, esclarece Leonardo Weissman, consultou da Sociedade Brasileira de Infectologia e também infectologista no Instituto de Infectologia Emilio Ribas.

Hidroxicloroquina não reduz mortalidade por COVID-19

Novo grande estudo a respeito à medicação, pesquisadores observaram aumento na frequência em eventos cardíacos em pacientes que fizeram tratamento com a droga, junto à azitromicina.

Sendo um dos mais estudados até o momento, mas uma vez não foi encontrada a redução de mortalidade por COVID-19 nas pessoas que receberam tratamento com a medicação hidroxicloroquina (junto ou não com a azitromicina).

A pesquisa apresentada nesta segunda-feira (11) com 1.438 pacientes foi publicada na revista Jama (Journal of the American Medical Association), uma das principais revistas em periódicos médicos no mundo. O estudo foi revisado por outros cientistas que não foram envolvidos nas análises em questão.

Na última semana, mais uma grande pesquisa, com 1.376 pacientes na cidade de Nova York, foi publicada no The News England Journal of Medicine, també visto como um grande e respeitado periódico médico, também mostrou que a droga ajudou na redução de mortes ou intubações.

Escrito por News Report

Colunista de notícias, visando levar a informação à leitores diversos, através da internet, mídias sociais, redator de plataforma em diversos assuntos.