Homem que incendiou estúdio de anime no Japão já havia mandado ameaças para o e-mail da empresa

Segundo testemunhas o homem entrou no prédio, jogou líquido inflamável no chão e gritou "morram".

Por volta das 10:30 da manhã desta quinta-feira (22:30 no horário de Brasília), um homem invadiu um prédio onde funcionava um estúdio de produção de anime, cerca de 70 pessoas trabalhavam naquele momento quando o homem jogou produto inflamável no chão e gritou “morram”, o caso aconteceu na cidade de Kyoto, no oeste do Japão.

Foram registradas 30 mortes e 40 feridos. Segundo o porta voz dos bombeiro, quando eles entraram no local haviam 12 pessoas tendo ataque cardíaco, no térreo e no 1° andar. 37 pessoas foram levadas ao hospital, 10 se encontram em estado grave.

O homem de 41 anos de idade que ainda não foi identificado, teve ferimentos e foi levado ao hospital sobre custódia, os policiais aguardam para poderem interroga-lo. Testemunhas alegam ter visto ele a 40 metros do local em um posto pegando gasolina. Foram disponibilizados pelos bombeiros 35 caminhões para controlarem as chamas. Ainda não se sabe o que o motivou para esse ato.

PUBLICIDADE

Diretor da Kyoto relatou que recentemente já havia vindo recebendo ameaças em seu e-mail e nos e-mails da empresa.

O primeiro ministro se manifestou em suas redes sociais prestando suas condolências.
“Uma situação amedrontadora demais para descrever com palavras”.

Vizinhos comentaram que o homem ao fugir do local em direção a estação de trem, caiu do chão gritando “vocês copiaram” para empregados da KyoAni que correram atras do suspeito.

PUBLICIDADE

A empresa que contém 160 funcionários foi fundado em 1981, pelos ex-funcionários da Mushi Production, deram o nome de Kyoto Animation, mais conhecida como KyoAni, mesmo não sendo reconhecidas internacionalmente ela teve papeis importante na produção de animes como, “Pokemon” e “Winnie The Pooh”. Suas principais obras foram “K-ON”, “Lucky Star” e “A Melancolia Haruhi Suzumiya”.

Fãs disseram que o estúdio era importante, pois trazia histórias com mais personagens femininas, adaptava light novels, e tinha as melhores adaptações também na passagem de histórias literárias para televisão e em sua empresa trabalhava mais mulheres do que em suas concorrentes.

Segundo a BBC (British Broadcasting Corporation), uma campanha de crowdfunding já sancionadachamada de Help KyoAni Heal,em apenas uma hora arrecadou 50.000 dólares (referente a 188.200 reais), para as vítimas e para o estúdio.

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Juliana

Redatora no site noticiaviva.com. Apaixonada por gatos. Uma pessoa simples e muito bem humorada. Contato: [email protected]