Jardineiro que atacava homossexuais e escondia os restos mortais em vasos de plantas

Mortes em série aterrorizavam há anos a comunidade LGBT.

O assassinato em série de vários homossexuais deixou a comunidade LGBT de Toronto no Canadá com medo e assustada. Oito homens desapareceram e depois foram encontrados mortos pela polícia. Os desaparecimentos aconteceram entre os anos de 2010 e 2017.

Depois de uma longa investigação a polícia conseguiu chegar a um jardineiro, Bruce McArthur, de 67 anos que foi preso no ano passado, acusado da morte de dois homens. Depois, a polícia o acusou de outros seis assassinatos. A maioria de suas vítimas tinha ligações com o bairro Gay Village.

A maioria dos restos dos corpos das vítimas foi encontrado em vasos e canteiros de plantas em uma propriedade no bairro de Leaside, na mesma cidade. O jardineiro matava suas vítimas e enterrava os restos dos copos nos vasos de plantas de quintais onde ele trabalhava como jardineiro.

PUBLICIDADE

O jardineiro pegou uma prisão perpétua para cada assassinato de acordo com a natureza cruel dos crimes cometidos por ele. Como McArthur é acusado de homicídio qualificado, isso significa que ele só poderá tentar obter liberdade condicional após passar ao menos 25 anos preso, ou seja, aos 91 anos de idade.

O promotor Michael Cantlon contou que o jardineiro tirou fotos de suas vítimas para guardar como lembrança. Depois de tirar a vida de suas vítimas, ele as desmembrava e enterrava nos vasos de plantas para evitar ser descoberto. Alguns dos corpos foram encontrados enterrados em um barranco.

A polícia encontrou uma mochila no seu quarto no local onde ele morava, com fita adesiva, luva cirúrgica, corda, lacres, elásticos e seringas.

PUBLICIDADE

A polícia fez uma grande mobilização que foi marcada como uma das maiores investigações da história da polícia de Toronto para prender Bruce. No dia de seu julgamento, o tribunal estava lotado de pessoas parentes das vítimas e amigos. Os assassinatos causaram terror na comunidade LGBT de Toronto, a notícia de que um assassino estava solto e matando homossexuais trouxe medo e insegurança para a população e sua prisão trouxe grande alívio para todos.

Pelo que se sabe até agora, sete das oito vítimas tinham ligações com o bairro gay da cidade. Muitos dos homens eram imigrantes do sul da Ásia ou do Oriente Médio. As vítimas tinham a idade de 37 a 58 anos, eles foram mantidos presos contra sua vontade e eliminados pelo jardineiro, a polícia não divulgou se o assassino teve algum envolvimento sexual com as vítimas.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Notícia Viva