Menina de 10 anos que engravidou após ser estuprada pelo tio terá que mudar de cidade

A prefeitura irá oferecer para a família uma casa em outra cidade.

A garota de apenas 10 anos que foi vítima de estupro e precisou viajar para a cidade de Pernambuco para realizar um procedimento delicado para interromper a gravidez terá que mudar de sua cidade pelo fato desse caso ter repercutido muito na cidade de São Mateus no Espirito Santo, onde ela e sua família moram.

O promotor da infância Fagner Andrade Rodrigues, afirmou que a prioridade neste momento é dar uma assistência digna para a família da menina.

O aluguel será pago pela prefeitura da cidade, esses tipos de projetos são para pessoas com traumas ou que vivem sob a ameaças.

PUBLICIDADE

“Não tem a mínima condição de essa família morar no mesmo local, vamos buscar uma solução mais rápida o possível e digna para que a garota e sua vó possa continuar a salvo desses grupos de pessoas. Ela deve ser acolhida, mas vem sendo revitimizada por esses grupos”, disse Rodrigues.

Foi feito um pronunciamento online na tarde de segunda- feira dia 17, em que o secretário da Saúde do Espirito Santo, Nésio Fernandes, disse que irá ser dado para a avó e a garota e seus familiares proteção e inclusão da família nos projetos de apoio a vítimas e testemunha.

Esse caso tomou conta dos meios de notícias depois da garota reclamar que não estava se sentindo bem, logo depois foi levada para o hospital com dores na barriga e foram feitos alguns exames que contataram que a garota estava grávida. Em seguida o hospital acionou a polícia, e a garota disse a um dos policias que frequentemente era abusada pelo seu tio desde de que tinha apenas 6 anos e que nunca havia falado nada para ninguém porque era duramente ameaçada por ele.

PUBLICIDADE

O homem tem 33 anos, ele teve sua prisão decretada por estupro de vulnerável e também responderá por ameaça. O criminoso continua foragido mas as buscas por ele seguem firmes. A garota fez um procedimento de interrupção da gravidez no Centro Integrado Amaury de Medeiros e passa bem após o demorado procedimento.

Com informações dos médicos o procedimento foi de grande sucesso, uma injeção foi aplicada no fetor e logo depois foi dado um medicamento para que ele fosse expulso. O procedimento durou cerca de 6 horas, segundo os médicos a menina possuía diabetes gestacionais e que se essa gravidez não fosse interrompida correria alto risco de morte dela e da criança.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.