Menina de 2 anos é proibida de entrar em creche por sua aparência: “Pode assustar as crianças”

Criança foi proibida de se matricular em escola devido a aparência

Uma criança de dois anos de idade, chamada Sofya Zakharova acabou sendo proibida de ter sua matricula realizada em uma creche. Isso tudo por que ela possui uma certa deformidade em seu crânio.

A proibição aconteceu pois os funcionários da escola em questão em que a criança seria matriculada, temeram que as outras crianças ficassem assustadas devido a aparência física da menina.

Após isso, os pais da menina receberam um informe de que a menina poderia ser matriculada na escola após ela passar por uma cirurgia que iria ter a finalidade de melhorar a aparência física da menina.

PUBLICIDADE

Os médicos ainda não sabem qual é a deficiência que a menina tem até o momento, porém Sofya apresenta algumas características em sua aparência como por exemplo um crânio e uma testa mais largos que o normal, além disso ela também possui alguns de seus dedos fundidos.

A menina ainda irá passar por uma cirurgia, porém ela precisou ser adiada por algum tempo. O caso a respeito da garota está sendo acompanhado pela instituição de caridade chamada Rainbow of Goodness.

Segundo informações que foram divulgadas pelo jornal “The Sun”, a mãe da menina, Svetlana Zakharova foi informada pelos funcionários da escola em que tentou matricular a menina que ela primeiramente precisaria passar pela cirurgia antes que ela pudesse frequentar a escola com as outras crianças, “como uma criança comum”.

PUBLICIDADE

Foi feito um alerta por alguns especialistas a respeito desta atitude tomada pela escola, de que a menina precisaria interagir com outras crianças durante o seu desenvolvimento, e caso isso não acontecesse, isso poderia prejudicar e muito no desenvolvimento da menina.

Ekaterina Belan, uma psicóloga educacional declarou para a mídia local a respeito do caso de Sofya que quanto mais cedo a menina começar a ter experiências e interações com outras crianças isso será melhor para ela a respeito da condição que ela tem e quanto ao seu crescimento.

A psicóloga também explicou que estas interações que a menina precisa ter ajudarão com que ela entenda melhor quem ela é ao longo da vida, e que ela aceite a sua condição, a doença que tem com mais facilidade.

A polícia local agora está investigando a respeito da creche ter recusado o pedido de matricula da menina no local. Também será oferecido uma casa com condições melhores para o crescimento da menina visto que atualmente ela vive na casa de uma avó onde não se tem água corrente, fogão e aquecimento central.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.