Professor da Universidade Federal de Uberlândia da aula de inclusão ao acolher filha de aluna em suas aulas

Thami falou sobre o professor Luiz Carlos de Laurentiz que sempre recebe a menina da melhor forma e já chegou até a colocar seu nome na chamada, fazendo com que ela desejasse se envolver com as aulas e até apresentar trabalhos.

O mundo mudou muito em questões de gênero e, um pouco mais a cada dia, caminhamos para uma sociedade de direitos iguais entre homens e mulheres. Embora ainda haja um caminho longo para chegar nisso, alguns gestos mostram que estamos sim no caminho certo e que ainda há esperança.

Uma das maiores lutas das mulheres tem sido o ingresso e permanência no ensino superior. Segundo informações do MEC, em 2015, as mulheres eram maioria no ensino superior. Mas isso nem sempre reflete as condições de estudo dessas mulheres.

Para as mães solteiras, por exemplo, especialmente as jovens, a realidade é brutal.

PUBLICIDADE

Muitas mulheres, principalmente jovens com gravidez não planejada, precisam se afastar da universidade para passar por esse processo e, depois da criança ter nascida, novamente são forçadas a se afastar porque não há estrutura para acolher essa criança na Universidade. São situações dramáticas, mas que acontecem todos os dias.

Talvez por isso o caso de Thami Maitra, de 27 anos, chamou tanto a atenção. A jovem é estudante de Design, na Universidade Federal de Uberlândia, e algumas vezes precisa levar a filha para a faculdade. No twitter, a jovem compartilhou um dos momentos mais emocionantes que você vai ver hoje.

Thami falou sobre o professor Luiz Carlos de Laurentiz, ou simplesmente Lu, como é chamado carinhosamente pelos alunos. Lu sempre recebe a filha de Thami da melhor forma e já chegou até a colocar o nome da menina na chamada, fazendo com que ela desejasse se envolver com as aulas e até apresentar trabalhos.

PUBLICIDADE

Thami compartilhou que muitos professores permitem a presença da menina em aula, mas nem todos são tão compreensíveis e parceiros quando Lu. Ela afirma que alguns professores fazem questão de salientar que a menina precisa ficar “quieta” e não atrapalhar a aula.

Lu, por outro lado, faz questão de envolver a pequena aluna na aula. Bruna, como se chama a menina, é convidada a apresentar os trabalhos com a turma e participar das aulas. Não é difícil ve-la sentada ao lado do professor, com quem claramente já desenvolveu um relacionamento de afeto.

Thami e o pai de Bruna não estão mais juntos, mas dividem a guarda da menina. Como ambos são estudantes universitários, eles se revezam para tentar conduzir os estudos com o mínimo de interferência possível. Mas não é fácil, já que os dois estão em Uberlândia sozinhos, uma vez que suas famílias não são da cidade.

Por isso, quando a escola em que a menina estudava entrou em greve, Thami se viu forçada a levar a menina para a faculdade e passar o dia inteiro com ela. Foi aí que o professor Lu surgiu e acolheu a menina, passando mais tranquilidade e calma para que Thami pudesse dar continuidade aos estudos.

Depois desse aperto todo, Thami conta que decidiu matricular a menina em uma escola particular. Ela e seu ex-parceiro decidiram se apertar financeiramente, mas garantir que a menina pudesse estar em um ambiente melhor para ela durante o dia. Agora, Bruna acompanha a mãe em algumas aulas no período da noite.

PUBLICIDADE

Escrito por Carla Juliana

Redatora no site noticiaviva.com. Apaixonada por gatos. Uma pessoa simples e muito bem humorada. Contato: [email protected]